terça-feira, 27 de agosto de 2013

Conquistados pela cruz

Trecho retirado do livro " O Maior Segredo" David Icke

A Igreja Cristã é uma farsa instituída em uma fantasia. Se alguém requer confirmação de quão fácil é para a minoria controlar as massas, eles não precisam olhar mais do que as bilhões de pessoas, que reverenciam os contos de fada, mascateados nestes passados 2.000 anos, pelos homens em longas batinas. E o que serve para o cristianismo serve para o resto delas, judaísmo, islamismo, hinduísmo e todo resto.
 Estas religiões foram criadas pelas mesmas forças para adquirir o mesmo efeito e, portanto, os mitos do deus-salvador por toda parte no mundo antigo têm um idêntico plano de jogo:
1-Você nasce com pecado original e, então, você é um desprezível pedaço de merda desde o dia que você chega no planeta.
2-Você só pode ser salvo acreditando no „Salvador‟, isso quer dizer, fazer o que o sacerdócio disser para você fazer. 3-Se você não faz isso, você será condenado às entranhas do inferno para sempre. Que culpa e terror isto tem criado por milhares de anos. Eu escutei mães católicas romanas em agonia, depois que seus bebês morreram querendo saber o que teria acontecido com eles. Os bebês não poderiam acreditar em Jesus, porque eles tinham apenas uns poucos dias, então eles iriam para o céu ou inferno? Eu estava assistindo um canal de tv católico romano, no Estados Unidos da América e ao cara com a longa batina foi perguntado sobre isso. Ele disse que isso era uma profunda questão teológica. Oh realmente? Ele disse que ou a alma do bebê iria para o limbo (até quando quem sabe?), ou ele seria julgado pelo comportamento de seus pais. Que tolice desconcertante. Graças a Deus o bebê não será julgado pelo comportamento dos sacerdotes. E se você pode somente ser salvo por acreditar em Jesus, o que dizer de todas aquelas bilhões de pessoas, por todo período do cristianismo, que viveram em vastas áreas do mundo que nunca ouviram falar de Jesus? Eles todos estão condenados por falta de informação a atiçar os fogos, também? Um pouco estúpido, este Deus cristão, hein? Mas é claro que não é verdade. É tudo faz-de-conta, conjurado pelos iniciados de Fraternidade Babilônica dos reptilianos para controlar as mentes das massas.
Quando eu escrevia esta seção do livro e investigava de onde os Evangelhos provieram, eu estava alcançando um livro de uma prateleira alta no meu escritório. No momento em que eu puxei o livro, um outro menor caiu no chão. Eu não recordo tê-lo visto antes, mas o título imediatamente chamou minha atenção. Era The True Authorship Of The New Testamento (A Verdadeira Autoria do Novo Testamento) por Abelard Reuchlin, primeiramente impresso nos Estados Unidos da América em 1979. (1) Ele falava sobre um círculo interno ou anel interno, o mais exclusivo na história, que conhecia o „Grande Segredo‟. Neste círculo estavam aqueles líderes religiosos, políticos e literários, que sabiam a verdade sobre Jesus, mas não queriam que ninguém mais soubesse. O que me impressionou foi que este livro chegou às mesmas conclusões que eu cheguei. Os Evangelhos são uma invenção projetada para fabricar uma nova prisão-religião. O livro não investiga todo o simbolismo que eu documentei aqui, mas ele nomeia a família e outros que escreveram o Novo Testamento e os códigos que eles usaram para „assinar‟ sua autoria. Um desses códigos, interessantemente, é o número 40 que eu realcei anteriormente. Quarenta era também representado pela letra M, como em Maria. A letra M é muito significativa para a Fraternidade ainda hoje e nós a vemos em todos os lugares no símbolo da cadeia de fast food McDonalds. Nós veremos mais tarde como as grandes corporações usam o simbolismo da Fraternidade em suas logomarcas e nomes. M significa Maria ou Madonna, que significa Semiramis. A riqueza de evidências no livro de Reuchlin, muito dela complexa e lidando com códigos esotéricos matemáticos, é impressionante. Eu recomendo muito que você experimente adquirir uma cópia se você quer o detalhes completos. O parágrafo de abertura resume seus achados:
“O Novo Testamento, a Igreja e o cristianismo, foram todos a criação da família Calpurnius Piso, que eram aristocratas romanos. O Novo Testamento e todos os personagens nele – Jesus, todos os Josés, todas as Marias, todos os discípulos, apóstolos, Paulo, João Batista – todos são fictícios. Os Pisos criaram a estória e os personagens; eles amarraram a estória para uma época e um lugar específicos na história; e eles a conectaram com algumas pessoas periféricas reais, tais como Herodes, Gamaliel, os procuradores romanos, etc. Mas Jesus e qualquer um envolvido com ele foram personagens criados (isto é fictícios!).” (2)
Os Pisos eram uma família de linhagem descendente de homens de estado, cônsules, poetas e historiadores, e tais pessoas seriam definitivamente iniciados da rede de sociedades secretas do Império Romano, uma importante alpondra para os puros-sangues e acasalados reptilianos até o dia de hoje. Isto é porque um soldado romano é a logomarca daquela potência da Fraternidade, American Express. A família Piso alegava descender de Calpus que, eles diziam, era o filho de Numa Pompilius, o sucessor de Rômulo, o fundador de Roma. Estas eram pessoas seriamente conectadas. É dito que tais linhagens romanas provieram de Tróia e nós estamos olhando para uma família que recuava para o Cáucaso e Oriente Próximo. Depois da destruição de Tróia por volta de 1.200 a.C., a estória narra que um cara chamado Aeneas (Enéias) de uma linhagem „real‟ (isto é reptiliana) viajou com o restante do povo e estabeleceu-se na Itália. Aí ele uniu-se com uma família real dos latinos e através dessa linhagem mais tarde surgiu o Império Romano. De acordo com muitas tradições, o neto de Enéias, um homem chamado Brutus, desembarcou na Britânia por volta de 1.103 a.C. com um grupo de troianos, inclusive alguns colonos da Espanha, para tornar-se Rei dos Bretões e fundar a cidade de Nova Tróia – Londres.
Lucius Calpurnius Piso, o cabeça da família, era casado com a bisneta de Herodes, o Grande. De acordo com a pesquisa de Reuchlin, Piso, que usava muitos pseudônimos, produziu seu „Ur Marcus‟, a primeira versão do Evangelho de Marcos, por volta de 60 d.C. Um dos amigos que o encorajou foi o famoso escritor romano, Annaeus Sêneca, mas parece que ambos foram mortos pelo imperador Nero no ano 65. Com isto, o nome Piso desaparece da história romana e não reaparece até 138 d
.C. quando o neto de Piso, Antoninus, tornou-se imperador. Mas deste ponto a família é mormente conhecida como os Antonines, não os Pisos. Nos 73 anos entre a morte do pai Piso e o surgimento de Antoninus, as fundações do cristianismo foram escritas e proclamadas sob nomes adotados. Depois da morte de seu pai pelas mãos de Nero, o filho de Piso, Anus, que usou vários nomes, inclusive Cestius Gallus, foi feito governador da Síria. Isto deu a ele o comando sobre o exército romano na Judéia. Ele estava envolvido na revolta da Judéia em 66 d.C., para qual Vespasiano foi enviado para Judéia para sufocar o imperador Nero, assassinado em 68 d.C. por um agente de Piso, de acordo com Reuchlin. Isto certamente faz sentido se Nero matou seu pai. Com isto, o clã Piso jogou seu poder e manipulação na retaguarda de Vespasiano e ele tornou-se Imperador de Roma em 69 d.C. Um ano mais tarde os romanos destruíram Jerusalém, roubaram os tesouros do templo, inclusive a Arca Da Aliança, e aparentemente carregaram tudo para Roma onde introduziram essas coisas nos subterrâneos das sociedades secretas. Esses subterrâneos nada mais eram que a Fraternidade Babilônica.
Reuchlin diz que Anus Calpurnius Piso então escreveu três dos Evangelhos na seguinte ordem: O Evangelho de Mateus (70-75 d.C.); o corrigido (updated) Marcos (75-80), com a ajuda do escritor romano e homem de estado. Plínio o Moço, o corrigido (updated) Lucas (85-90); O Evangelho de João, o trabalho do filho de Anus, Justus, prosseguiu em 105. (3) Como Reuchlin diz, „Jesus‟ era uma figura composta e as estórias incluíam elementos das fábulas de José no Egito e outros personagens do Velho Testamento, mais alguns escritos essênios e características de vários deuses pagãos. Isto precisamente, são as evidências que eu tenho documentadas confirmam. Os diversos Josés na estória são todos a criação de Piso e parte do código. As letras no nome Piso traduz-se em hebraico como Yud, Vov, Samech, Fey, e elas soletram o nome, José. Um outro código que Piso usou, para ele mesmo nas estórias, é o número 60. Reuchlin salienta as muitas similaridades entre a estória de Jesus e o personagem do Velho Testamento, José, que Piso usou como uma base: José tinha 12 irmãos, Jesus 12 discípulos; José foi vendido por 20 peças de prata, Jesus por 30 peças de prata (inflação); irmão Judah sugere a venda de José, Judas vende Jesus; José está no Egito onde os primogênitos são mortos, Jesus e a família fogem para o Egito para evitar o assassinato de meninos. Piso usa seus
quatro filhos como discípulos, João (Julius), James (Justus), Simão-Pedro (Proculus), e Alexandre (André). (4) Julius, Justus e Proculus, continuariam a escrever alguns textos do Novo Testamento posteriormente. Piso faz Jesus cumprir um número de profecias do Velho Testamento, particularmente aquelas de Isaias. Reuchlin diz que os Pisos fizeram mudanças e adições a alguns textos do Velho Testamento também, e escreveram a maioria dos 14 livros do Velho Testamento conhecidos como Apócrifos. Estes incluem Esdras, 1 Maccabbees, Judith, Tobit, Bel e o Dragão. (5) Os Pisos eram estóicos e os estóicos acreditavam que as pessoas eram motivadas e controladas através do uso de medo e esperança (6) (os mesmos métodos da Fraternidade Babilônica). Que melhor maneira de descrever as religiões geradas pelo Velho e Novo Testamentos?
Uma outra manifestação de Anus Piso era Flavius Josephus, o escritor que eu citei uma ou duas vezes. A razão para que Piso, como Josephus, e o marido da sua neta Plínio, o Moço, não mencionem Jesus nos seus escritos oficiais é porque na época simplesmente não seria crível fazer isso. Foi somente com a passagem do tempo, quando a verdadeira origem de „Jesus‟ estava perdida, que as estórias tornaram-se aceitas como „fato‟. A história oficial de Josephus é que ele era um judeu descendente da realeza Hasmonean. Ele lutou contra os romanos e, embora seus amigos cometessem suicídio, quando a revolta fracassou, ele entregou-se e foi poupado. Mais do que isso, diz-se que ele foi hospedado em Roma por imperadores por 30 anos, enquanto ele escrevia livros sobre „história‟ judaica e, então, casou-se com sua neta e entrou na aristocracia romana. Oh, por favor. Josephus era o aristocrata romano, Anus Calpurnius Piso, junto com seus filhos e Plínio, o Moço, eles escreveram os Evangelhos e o resto do Novo Testamento.
Plínio escreveu um número de epístolas (cartas) sob o nome São Ignácio, e este mesmo grupo, sob vários nomes, foram os primitivos „pais‟ da igreja. E quem foi que transformou esta invenção romana na vasta prisão-religião que ela se tornou? Um imperador romano da mesma Fraternidade Babilônica que os Pisos, chamado Constantino, o Grande. Qual foi o veículo para fazer isto? A Igreja Romana baseada em Roma! Geoffrey Higgins em seu trabalho épico, Anacalypsis, mostra como Roma foi criada como uma nova Babilônia. Não admira que o cristianismo esteja tão afogado em símbolos babilônicos. A coisa toda era uma armação para criar uma outra religião, para ludibriar a mente humana, e a hierarquia da Igreja Cristã de hoje sabe disso tudo! A elite da Igreja sempre soube disso, porque eles são parte da corrente de sociedades secretas, que criaram o mito chamado Cristianismo. Mentiras cínicas como o sudário de Turin, que tem sido conectado com a sociedade secreta Cavaleiros Templários, foram inventadas para perpetuar a propaganda. A força que inventou Jesus e o cristianismo é a mesma força que ainda controla o mundo hoje. Por exemplo, o Colégio Romano de Arquitetos foi um precursor da Maçonaria de hoje. Os romanos usavam os mesmos símbolos do esquadro e compasso e assim por diante. Um templo usado por este colégio em Pompéia perdeu-se sob as erupções do Vesúvio em 71 d.C., escavadores recuperaram do templo um hexagrama „Estrela de David‟, uma caveira e um quadro traçado em preto e branco primeiramente usados pelos artífices dionisíacos. (7)
Todos estes símbolos são usados pelos maçons de hoje.
A batalha judaica contra Roma continuou até a derrota final dos Zelotes em 74 d.C. em Massada, a fortaleza da montanha de topo plano dando vista para o Mar Morto. Era o último bastião da comunidade essênia que evacuou sua base mais para baixo na costa. Enquanto os zelotes judeus eram despachados pelos romanos, muitos membros da sociedade secreta nazarena dirigiam-se para Jordânia, Mesopotâmia, Síria e Turquia, como documentado por Julius Africanus, que viveu na Turquia por volta de 200 d.C. Diz-se que José de Arimatéia, o „tio‟ bíblico de Jesus, viajou para França para espalhar a palavra. O bibliotecário do Vaticano, Cardeal Baronius, disse que José primeiramente chegou em Marselha em 35 d.C. e depois prosseguiu para Britânia. (8) Diz-se também que „Maria Madalena‟ e a prole de „Jesus‟ dirigiram-se para o Sul da França depois da „crucificação‟. Esta é a base da estória do Santo Graal que alega que a linhagem de Jesus tornou-se os merovíngios da França. Bem isto é tolice porque estas pessoas não existiram e repare a fonte da estória, o bibliotecário da Biblioteca do Vaticano da Igreja Católica em Roma. Então o que era tão especial de repente a respeito da Provença e o Sul da França? Adivinhe onde a família de Piso tinha vastas propriedades? Na Gália e, mais especificamente, em... Provença! (9) Não admira que a „vinha‟ (linhagem/ conhecimento) pode ser identificada com esta mesma parte da França. Séculos mais tarde isto tornou-se uma estória cheia de mitos e lendas. Estas são as estórias simbólicas do Rei Arthur (um outro „Sol‟), e isto também pode ser visto nas cartas de tarô, na música e arte da Europa por séculos. O Graal tem sido retratado como a taça ou cálice que conteve o sangue de Jesus na crucificação. Mas este sangue era meramente simbólico do sangue que fluía, nos rituais antigos, em que cordeiros eram sacrificados no equinócio de primavera e, para os mais iniciados, as linhagens que retrocedem aos „deuses‟ reptilianos. Nos primitivos manuscritos das estórias do Graal, o „Santo Graal‟ é chamado Sangraal. Como isto se aproxima de Sang Raal, o termo francês antigo que significa sangue real. Este sangue real, como nós estabeleceremos, eram as linhagens dos humanos-reptilianos acasalados e não tinham nada a ver com „Jesus‟.
A combinação deus Sol, simbolicamente conhecida como Jesus, foi transformada em um sobrenatural Filho de Deus, pelo homem que nós chamamos São Paulo, cujo nome original nas estórias era Saul de Tarsus. Oficialmente, São Paulo nasceu de pais judeus e como eles, tornou-se cidadão romano, apesar de ser um fariseu e adepto rigoroso à religião hebraica. Quem mais supostamente foi um judeu que tornou-se um romano? Josephus, o pseudônimo para Piso, que escreveu os Evangelhos! Diz-se que São Paulo encorajava à perseguição aos primitivos cristãos, mas, converteu-se na estrada para Damasco, quando Jesus milagrosamente „apareceu‟ para ele e perguntou: “Por que me persegues?” Contudo, Paulo tinha três versões da estória. Em uma ele escutou a voz de Jesus falar com ele (Atos 9:7). Em uma outra ele viu uma grande luz, mas sem voz (Atos 22:9). E na terceira, ele tem Jesus dando a ele instruções sobre sua futura missão (Atos 26:13). Paulo era a criação de Plínio, o Moço, (nome militar, Maximus) e Justus Piso. (10) Eles introduziram na estória de Paulo muitos de seus amigos e associados, e personagens da história da família. Por exemplo, o homem chamado „Ananias‟ nos Atos que cura Paulo de cegueira foi inspirado por Annaeus Seneca, que morreu com o pai Piso nas mãos de Nero. (11) E em Romanos, você encontra a frase: “Salve Herodion meu parente”, um código para a conexão da família de Piso com Herodes, o Grande. (12) Paulo não espalhou a mensagem de Jesus em Chipre, Creta, Macedônia, Ásia, Grécia e Roma. Plínio e os Pisos espalharam. Entre 100 e 105 Justus, seu pai, e Plínio, juntos com suas famílias, amigos e escravos, foram para a Ásia Menor (agora Turquia), para as cidades gregas e Alexandria, entre muitos outros lugares, para „encorajar‟ os pobres e escravos a juntarem-se a sua nova fé. (13) As primeiras igrejas foram criadas em Bitínia e Ponto por Plínio. Ele tinha visitado estes lugares algumas vezes, desde o ano 85 d.C., e esta é a origem do primeiro nome de Pôncius Pilatos. Ele somente foi chamado Pilatos em Mateus e Marcos, os primeiros evangelhos escritos pelos Pisos, mas em Lucas, um único Piso escreveu com Plínio, Pilatos repentinamente adquiri o nome, Pôncius. Lucas foi escrito nos mesmos anos que Plínio começou a visitar Ponto. (14) As cartas de Plínio, escritas sob seu próprio nome, dizem que Piso estava em Bitínia nos anos 96 e 98 usando o nome, Tullius Justus, e que os Pisos também se estabeleceram em Éfeso, a sede do culto e do templo para a deusa Diana, uma outra versão de Ísis, Semiramis, Barati, ad infinitum. Enquanto eles viajavam eles alegavam serem apóstolos e bispos, os sucessores de suas invenções, Pedro e Paulo. Eles alegavam ser Ignácio (Plínio), Justinus (Justus), Clemente de Roma (Julius), Policarpo (Próculus), e Papias (Julianus, filho de Justus). (15) Por esta época, uma Piso, Pompeia Plotina (nome real Claudia Phoebe), era a mulher do Imperador romano, Trajano, e assim eles tinham tremendo apoio dos níveis mais altos para sua manipulação. (16) Ela também aparece como „nossa irmã Phoebe‟ e como „Claudia‟ e „Claudine‟ nos textos chamados Romanos, Timóteo e Clemente. (17)
Os Pisos e Plínio introduziram em suas estórias todos os símbolos da religião do Sol e mitos da Fraternidade Babilônica. Eles estabeleceram seu Saul/Paul em Tarso na Ásia Menor (agora Turquia), a principal cidade dos cilícios. Esta justamente sucede ser um grande centro para a religião do Sol De Mitra e foram os cilícios que levaram este culto para Roma, de onde ele se espalhou por todo o império. Ásia Menor também era uma região em que se seguia o culto à Dioniso. Ambos eram simbólicos de deuses do Sol, nascidos em 25 de dezembro, morreram para que assim nossos pecados pudessem ser perdoados. Tudo que os cristãos acreditam sobre Jesus, os romanos e persas acreditavam sobre Mitra. Domingo era o dia sagrado para os Mitraístas porque ele era um Deus Sol e eles denominavam o dia do Senhor. Dioniso nasceu de uma mãe virgem, e ele era conhecido como: a Vinha, Nosso Senhor, o Salvador, o Juiz dos Mortos, o Libertador, o Renascido e o único gerado Filho de Deus. Acima da cabeça de Dioniso estavam as palavras: “Eu sou a Vida, a Morte, e a Ressurreição, Eu carrego a coroa alada (o Sol).” (18) O escritor, H. G. Wells, salientou que muitas frases usadas por Paulo para Jesus eram as mesmas que aquelas usadas pelos seguidores de Mitra. A liturgia de Mitra é a Liturgia de Jesus. Quando Paulo diz: “Eles beberam da pedra espiritual e aquela pedra era Cristo” (Corintios I 10:4), ele estava
Somente os nomes foram alterados. Nos evangelhos, Pedro tornou-se a „pedra‟ cristã na qual a nova igreja seria erguida. Dizia-se que o Monte Vaticano em Roma era sagrado para Pedro, mas este lugar também era reivindicado, muito antes disso, como sendo sagrado para Mitra e muitos vestígios mitraicos foram encontrados lá! O clã Piso transformou Mitra em Myth-ra (Mito–ra) Cristianismo.
Todos os Papas têm reivindicado reger como herdeiros de Pedro, o primeiro Papa. Esta reivindicação deriva-se de uma sentença na Bíblia, que tem Jesus dizendo: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja.” (19) Apenas quatro versículos depois que Pedro é supostamente feito a „pedra‟ na qual ele iria construir sua igreja, vem esta demolição dele: “Ele voltando-se para Pedro disse-lhe: „Tira-te de diante de mim, Satanás, que me serves de escândalo. Porque não tens gosto das coisas que são de Deus, mas das que são dos homens‟.” (20) A „pedra‟ é clássico simbolismo de escolas de mistério, como é a „pedra angular‟ associada com Jesus e ainda usada no simbolismo maçônico de hoje. Pedro é supostamente o guardião das chaves do Céu, mas isto é apenas uma reprise do símbolo das escolas de mistério do Janus com duas faces, guardando as chaves para o Templo da Sabedoria e as chaves para o céu carregadas por Mitra. E Janus era Eannus, um título para Nimrod na Babilônia. As chaves de ouro e prata do alegado sucessor de São Pedro, o Papa, são mais símbolos da doutrina secreta. Os Papas e aqueles que os controlam sabem o que todo este troço realmente significa. Ouro e prata são os metais preciosos usados para simbolizar o Sol e a Lua. Diz-se que ambos, Pedro e Paulo, foram mortos em Roma durante a purgação dos cristãos pelo Imperador Nero, mas não existem evidências para confirmar isto porque isso não aconteceu. Duas outras pessoas, que dizem, serem assassinadas por Nero, contudo, foram Lucius Calpurnius Piso, o cabeça da família, e seu amigo Annaeus Seneca! Com o passar dos anos, a religião do Sol e o simbolismo esotérico das escolas de mistério, foram transformados em uma religião baseada na tradução literal dos textos simbólicos.
Sobre este equívoco e fraude o cristianismo edificou-se. Nós somos levados a acreditar que a Igreja Cristã surgiu como uma unidade, mas isto simplesmente não é verdadeiro. Existiam muitas facções, através de um amplo espectro de opiniões, debatendo e brigando por supremacia como os detentores da „verdade‟. O conflito mais feroz decorreu entre os seguidores da versão de São Paulo de Jesus como o sobrenatural Filho de Deus, e os arianos, que acreditavam que ele era um homem, não Deus. Os arianos foram nomeados com referência a Anus, um clérigo na Alexandria, Egito, que questionava que Jesus pudesse ser o mesmo que Deus. Não tinha Jeová dito que ele era o único Deus? Como então poderia Deus estar em três partes como o Pai, Filho e Espírito Santo? A „trindade‟ é um conceito pagão, parte da crença babilônica e egípcia. Agora se nós vivêssemos em um mundo cheio de adultos maduros, nós permitiríamos às pessoas o respeito e a liberdade para acreditar em qualquer coisa que elas gostassem, desde que elas não impusessem isso para os outros. Só por acreditarmos ser errado, ou uma tolice, não deveria fazer diferença. Meu problema com o cristianismo e a religião em geral não é o fato de
alguém acreditar nisso, isto é o direito de todos, o que eu contesto é o modo como isto é imposto sobre as pessoas através do uso de medo, culpa, violência e a supressão de pensamento alternativo. Infelizmente, permitir às pessoas o direito de acreditar em alguma coisa que você não acredita, tornou-se um crime e assim os paulinos e os arianos insistiam em subjugar um ao outro. Neste ponto, entra Constantino, o Grande, que junto com os Pisos e Plínio, foi o criador do que ficou conhecido como cristianismo.
Constantino foi feito Imperador do império Romano em 312 d.C. Ele ganhou uma reputação como um soldado bravo e cruel e serviu na Britânia por um tempo antes de ser eleito como César do Ocidente. Ele então começou a matar seus rivais, inclusive muitos de seus filhos, enquanto ele procurava ser o imperador de tudo. Em uma de suas batalhas pela liderança romana, na Ponte Milvian próximo a Roma, a lenda cristã alega que ele teve uma visão de uma cruz no céu com as palavras: “Por isto conquiste”. Na noite seguinte, assim é dito, ele teve uma visão de Jesus que falou para ele colocar a cruz na sua bandeira para garantir vitória sobre seus inimigos. Boa estória, mas a palavra bollocks está perambulando pela minha mente. [Leitores americanos, eu compreendo, não sabem o significado do termo britânico, ‗bollocks‘. Como eu posso explicar isso? Eu suponho „você deve estar brincando‟ é a tradução mais clara que eu posso pensar.]
Falou-se que Constantino foi convertido para o cristianismo pela sua visão, mas existe um pequenino problema com isto. Ele nunca tornou-se um cristão, exceto talvez no seu leito de morte com um pouco de insegurança. Ele cultuava o deus grego Apolo (o Sol), e o Sol Invictus (Sol Inconquistável), e ele permaneceu até sua morte o Pontifício Maximus da Igreja Pagã! Como resultado, a Jesus foi dado o dia de nascimento do Sol de 25 de dezembro, que é mantido desde então. Constantino é também responsável pelo grande santuário cristão em Jerusalém. Sua mãe, Helena, foi enviada para a cidade a fim de rastrear os lugares e relíquias da estória cristã. Foi ela que alegou ter encontrado as exatas localizações do nascimento de Jesus, a crucificação, sua tumba e onde ele ascendeu ao céu. Você ainda pode encontrá-los em uma tour com guia em Jerusalém! Constantino construiu a basílica em 326 d.C. no local que sua mãe disse que a crucificação aconteceu e sobre o mesmo lugar hoje fica a Igreja do Santo Sepulcro que atrai milhões de cristãos para ver onde „Jesus morreu na cruz‟. Helena também alega ter encontrado as três cruzes de madeira por volta de 300 anos depois do acontecimento. Que senhora esperta ela deve ter sido.
Contudo, a verdade ficou bem mais distante. Constantino era um membro da mesma Fraternidade Babilônica através da qual os Pisos e Plínio operavam. A Basílica que Constantino construiu em Jerusalém é parte do padrão geométrico sagrado desta cidade de acordo com alguns pesquisadores. O Colégio Romano dos Arquitetos estava conectado com a Ordem dos Mestres Comacine que se expandiu rapidamente sob os reinados de Constantino e Teodósio, enquanto o cristianismo tornava-se a religião dominante do Império Romano. (21) Ambos eram importantes ramos dos subterrâneos da Fraternidade. A Ordem de Comacine está baseada na ilha de Comacini, no Lago Como, no norte da Itália. Lago Como, que
hoje é próximo aos centros suíços de lavagem de dinheiro de drogas como Lugano, é um centro muito importante para a Fraternidade Babilônica. Dois dos seus modernos membros, Príncipe Philip e seu mentor, Lorde Mountbatten, compareceram a um encontro do Grupo Bilderberg da Fraternidade no Lago Como em 1965. A Ordem de Comacine foi dividida em lojas chefiadas por Grandes Mestres e eles vestem luvas e aventais brancos, comunicam-se através de sinais e apertos de mão secretos. (22) Tudo isto acontecia mais de mil anos antes da criação oficial da maçonaria! A eles foi dada a patronagem do rei da Lombardia e foram feitos mestres de todos os maçons e arquitetos na Itália. (23) Foi esta ordem secreta, os sucessores dos primitivos arquitetos da Fraternidade, os artífices Dionisíacos, que proporcionaram a ponte entre aqueles que construíram os antigos templos pagãos e seus confrades, que construiriam as grandes catedrais cristãs da Europa. A mesma Fraternidade construiu tanto aqueles como estas! Os antigos templos eram santuários para as divindades pagãs, e as catedrais cristãs eram também santuários para as divindades pagãs. A única diferença era que, com as últimas, o público achava que elas foram construídas para cultuar „Jesus‟. O famoso herói cristão, São Bernardo, definiu Deus como „comprimento, largura, altura e profundidade‟ porque ele entendia o efeito da geometria e dos números nos campos de energia. Pitágoras também afirmou que: “número é tudo”. O poder do padrão, números, geometria e proporção, são alguns dos „grandes mistérios‟ que têm sido negado às massas do povo.
Claramente, Constantino, e a Fraternidade que controlava os imperadores, via vantagem política em apoiar o movimento cristão. E o povo não teria problema para abranger Jesus dentro de seu sistema de crença porque a estória combinava com aquela dos outros deuses do Sol da época, inclusive Mitra. O cristianismo pegou muitos seguidores de Mitra porque para eles isto não era diferente daquilo que eles já acreditavam, exceto pelo nome. Constantino pôs fim a perseguição aos cristãos no Império Romano lançando seu Edito de Milão, mas isto não era específico para o cristianismo, não obstante isso parou a perseguição contra todas as religiões um-Deus. De qualquer jeito, enquanto uma perseguição tinha fim, uma outra logo estava começando, quando a Igreja Romana perseguiu, queimou e torturou qualquer um que se recusasse a acreditar na fé cristã, ou mesmo sua versão da fé. Dezenas de milhões de pessoas morreram em nome do assim chamado „Príncipe da Paz‟. Apropriadamente, Constantino assassinou sua mulher e seu primogênito antes de fazer sua viagem em 325 d.C. para seu palácio em Nicéia (agora Iznik, na Turquia) para decidir o que os cristãos a partir deste dia deveriam acreditar. Ele queria acabar com o conflito entre os paulinos e os arianos e instalar um único credo cristão. Ele reuniu 318 bispos (um outro número místico) em Nicéia para falar a eles qual seria o credo deles. Debates amargos explodiram entre as facções sobre a ardente questão para o futuro do mundo: Jesus era parte de uma trindade de Pai, Filho e Espírito Santo? Santa merda. Documentos foram rasgados e a porrada comeu solta. Se você é um cristão, assim é como sua fé foi decidida. Os arianos perderam o dia e desta pancadaria e ditadura romana proveio a crença base do cristianismo, o Credo de Nicéia. Esta bagunça ficou como se segue. Eu espero
que você esteja concentrado, eu farei perguntas mais tarde:
“Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis, e creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho de Deus, gerado apenas do Pai, isto é, da substância do Pai, Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado e não criado, consubstancial ao pai, por quem todas as coisas foram criadas, tanto do céu como da Terra, e que, para nós homens e nossa salvação, desceu dos céus e se fez carne, se fez homem, sofreu e ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, e virá novamente para julgar os vivos e mortos; e creio no Espírito Santo.”
Simples hein? Foi decidido que Jesus era consubstancial ao pai porque na antiga Babilônia dizia-se que Nimrod e seu filho, Tammuz, eram a mesma pessoa. Sua mãe, Rainha Semiramis, foi intitulada o Espírito Santo. Assim o Pai, Filho e Espírito Santo, são de fato Nimrod-Tammuz e Semiramis. O cristianismo é a religião da Babilônia e tem sido desde o início. Hoje Roma e Itália permanecem um grande centro da Fraternidade, como eu detalho em ....And The Truth Shall Set You Free (E A Verdade O Libertará). O Vaticano ele mesmo é totalmente controlado pela Fraternidade e uma de suas mais importantes bases.
O Cristianismo, como o judaísmo e o islamismo, foi projetado para realizar uma outra parte vital da Agenda reptiliana: a supressão da energia feminina, a conexão intuitiva para níveis superiores de nossa consciência multidimensional. Uma vez que você suprima sua energia feminina, sua intuição, você desliga sua consciência superior e deixa-se dominar por sua consciência inferior. Você está isolado de sua mais alta expressão de amor, sabedoria e conhecimento, e a mercê das „informações‟ manipuladas bombardeando seus olhos e ouvidos. Isto é porque a Fraternidade procurou criar um mundo em que a energia masculina estivesse no comando, pelo menos na aparência. O estado de ser que nós conhecemos como ‗macho man‘ é uma pessoa desconectada de sua energia feminina e, portanto, profundamente desequilibrado. Perceba que não existe nenhuma menção de mulheres no Credo de Nicéia de Constantino. Ele diz que Deus se fez carne em Jesus “para nós homens e nossa salvação”. O cristianismo foi um bastião masculino desde sua própria fundação, criado para suprimir a energia feminina equilibrada. Os fundadores primitivos da Igreja, como Quintus Tertullian, baniram as mulheres do ofício sacerdotal e até falar na igreja. Foi somente no Concílio de Trento, em 1545, que a Igreja Romana oficialmente concordou que mulheres tinham alma e, além disso, por uma maioria de três votos. As sementes deste dogma anti-feminino na Igreja Cristã pode ser visto em seu espelho, o Zoroastrismo, a seita do profeta (deus Sol mítico), Zoroastro. Ele e sua religião surgiram também novamente da Pérsia, agora Turquia, a terra das Montanhas Taurus e residência de São Paulo, Tarso. Zoroastro foi veementemente anti-mulheres e ele dizia que “nenhuma mulher poderia entrar no Céu, exceto aquelas „submissas ao controle, que tivessem considerado seus maridos lords (senhores)”. Esta filosofia por inteiro é uma repetição, quase palavra por palavra, do Bramanismo, o estarrecedor credo hindu que foi introduzido pelos arianos na Índia muitos séculos antes. São Paulo (os Pisos e Plínio) continuaram a agenda antifeminina no cristianismo e arrumaram a cena para a terrível supressão das mulheres por quase dois mil anos. Entre as pequenas preciosidade de São Paulo está:
“Esposas submetam-se a seus maridos porque o marido é a cabeça da mulher como Cristo é a cabeça da Igreja. Agora se a Igreja se submete a Cristo assim as esposas deveriam se submeter a seus maridos em tudo.”
E:
“Mas eu tolero não uma mulher dar lições, nem usurpar a autoridade do homem, mas ficar em silêncio.”
A Igreja Cristã foi construída para representar e perpetuar a vibração extrema masculina, a energia do Sol, e manter o antigo conhecimento secreto. A Igreja Cristã tornou-se um veículo crucial e altamente efetivo para remover conhecimento de circulação, desse modo ele poderia ser usado secretamente e malevolamente atrás dos bastidores. A investida sobre a energia feminina equilibrada e a acumulação de conhecimento resultado da caça às „bruxas‟ – canalizadores, médiuns, psíquicos e videntes de todos os tipos. Estas comunicações com outros reinos era parte do dia a dia da vida pré-cristã. Foram dados nomes a canalizadores como profetas, oráculos, receptáculos de Deus e outros tantos. Um dos líderes desta caça às bruxas foi Jerônimo, nascido em 341, a quem é atribuído a coleta de textos para a principal versão latina da „Bíblia Sagrada‟ (Vulgata). Foi Jerônimo quem persuadiu o Papa a declarar ilegais as canalizações (comunicações psíquicas com outras dimensões). Por este único decreto papal, os receptáculos de Deus tornaram-se receptáculos e bruxas do Diabo, termos ainda usados por muitos cristãos. O Rei Jaime I, o primeiro rei tanto da Inglaterra como da Escócia, incluiu uma condenação amarga das bruxas em sua Bíblia do Rei Jaime, em 1611; ele foi fiel a sua palavra quando ele torturou e executou milhares de mulheres por serem bruxas. Jerônimo queria que os sacerdotes fossem os intermediários entre a humanidade e Deus. Ele não queria pessoas acessando diretamente, contradizendo a linha oficial, ou circulando conhecimento não aprovado. Como ele disse:
“Nós dizemos a eles (os canalizadores) que tanto rejeitamos profecia, como recusamos receber profetas de cujas declarações falham em concordar com as Escrituras velha e nova.“ (24)
Contudo, ao mesmo tempo, os iniciados da Fraternidade Babilônica, que criaram a Igreja Romana, usavam estes mesmos poderes psíquicos e modos de comunicação interdimensional. OK, como mais nós podemos controlar e diminuir a grande plebe? Fizemo-los acreditar em uma fantasia sobre Jesus e enganamo-los para que eles pensem que depois de uma vida na Terra, Deus decide se eles vão para o céu ou inferno. Nós também os enganamos para que eles pensem que nós, os homens de batina, sabemos como Deus quer que eles vivam e que qualquer coisa relacionada com esotérico é o Diabo. Mais alguma coisa? Ei, nós precisamos ser cuidadosos com a energia sexual, a força criativa. Temos que a reprimir ou a fonte de poder deles ainda estará lá. Eu tenho o homem certo. Eu digo, Augustine, no meu escritório, por favor. Santo Augustine de Hippo, como a maioria do antigos heróis da Igreja, era do norte da África. Ele não podia ter sexo o bastante anteriormente em sua vida, mas depois de sua alegada conversão ao cristianismo com 31 anos de idade, ele mudou dramaticamente e decidiu que sexo era horrendo. Você sabe como fumantes ficam quando eles param. Ele não permitiria uma mulher entrar em sua casa desacompanhada, mesmo sua irmã. Ele não podia pensar em uma outra maneira de produzir filhos, então ao menos que a raça fosse extinta, ele era incapaz de escapar dela. Contudo ele insistia que de forma alguma você deveria se divertir com isso. Eu experimentei este(a) parceiro(a), e não funcionou. Esta era a visão de Augustine da sexualidade: “Maridos amem suas esposas, mas amem castamente. Insista no trabalho da carne somente na medida que é necessário para a procriação de filhos. Já que você não pode gerar filhos de nenhuma outra forma, você deve rebaixar-se a isso contra sua vontade, pois isto é o castigo de Adão.” Estas atitudes levaram, em estágios, à imposição do celibato para sacerdotes pelo Papa Gregório VII em 1074. Sim, nós temos sacerdotes celibatários na Igreja Católica Romana hoje, por causa do que um papa decidiu mil anos atrás e inumeráveis crianças, abusadas por clérigos sexualmente frustrados e confusos, arcaram com as conseqüências. Augustine conectou o sexo com o pecado original, a idéia que nós nascemos pecadores por causa de nosso elo lá atrás com Adão e Eva. Jesus, assim esta teoria continua, foi o único nascido sem pecado original porque ele foi concebido por um nascimento virgem. Mas e sua mãe? Ela deve ter tido pecado original e então algo disso deve ter passado adiante para ele. Eventualmente, a Igreja Católica pôde ver a contradição e eles decretaram que Maria, também, foi um nascimento virgem. Mas e sua mãe? Ela teve pecado original? Se sim, isto deve ter sido passado adiante para Maria. Meu Deus, por favor é. Mas bilhões de pessoas são controladas e manipuladas deste jeito desde que o credo cristão cravou fundo suas presas de medo, culpa e violência, dentro do espírito humano. De fato eu mesmo acredito em pecado original. Alguns de meus „pecados‟ são bem originais. Se você vai pecar, seja original, é isto que eu digo.
 

Figura 18 O ‛Chakra‟ humano ou sistema de vórtices que interpenetram nossos níveis do ser. Quando eles estão abertos nós conectamos com o cosmos e atraímos quantidades ilimitadas de energia. Quando eles estão fechados nós estamos desconectados do cosmos e operamos com uma fração de nosso potencial mental, emocional, físico e espiritual.

Nossos níveis espiritual, mental, emocional e físico do ser estão conectados por vórtices de energia, conhecidos como chakras (uma palavra sânscrita que significa: rodas de luz). É através destes vórtices chackras que desequilíbrios em um nível são passados adiante para um outro (veja Figura 18). Assim quando nós ficamos muito estressados emocionalmente, a primeira coisa que acontece é que nós paramos de pensar direito. O desequilíbrio em nível emocional é transmitido para o nível mental. Isto é eventualmente passado para o nível físico se o desequilíbrio não é corrigido e é assim que o estresse e a pertubação emocional causa doença ou desassossego. Estes desequilíbrios emocionais manifestam-se no
corpo físico como reações químicas e são estas reações que a medicina oficial (as corporações transnacionais de drogas-remédios) procura „tratar‟ com custos inacreditáveis, tanto em dinheiro como efeitos a longo prazo no corpo. Eles tratam o sintoma não a causa, porque a maioria dos doutores são tão in-dout(o)r-inados que eles não têm idéia de como o corpo realmente funciona e o que o ser humano realmente é. Aqueles que controlam as corporações das drogas sabem, de qualquer modo, eles usam qualquer meio possível para suprimir métodos „alternativos‟ de cura que tratam a causa e não o sintoma.
São também os chakras que sugam energia para a nosso campo de consciência; em um estado de pleno funcionamento nós recebemos enormes quantidades de energia, particularmente através do chakra base na parte inferior da espinha. De lá ela se move através dos sete maiores chakras subindo pela espinha e para fora através do chakra da coroa, no topo da cabeça. Eu explico tudo isto em detalhes em outros livros como I Am Me I Am Free (Eu Sou Eu Eu Sou Livre). Por razões que eu discutirei em um capítulo posterior, quanto mais energia nós sugamos para nosso campo de energia, mais poder nós temos para criar e controlar nosso próprio destino. É vital, portanto, que aqueles que desejam nos diminuir e dominar encontrem meios para limitar a quantidade de energia que nós absorvemos. É aí que entra a manipulação do sexo. Os três chakras inferiores são o base, o chakra sexual um pouco superior a ele, e então o chakra conectado com nosso nível emocional no plexo solar. É o chakra que estimula as „ansiedades‟ e „estômagos nervosos‟ quando estamos preocupados e estressados. Assim as atitudes cristãs e „morais‟, em relação ao sexo, fecham o chakra base e aquela energia que ele absorve é lançada em distúrbio quando ela atingi os chakras sexual e emocional por causa de todo medo e culpa que cerca o assunto. Isto desequilibra e diminui todo campo de consciência energético humano. A maioria dos clérigos não tem idéia que isto é assim, mas aqueles que tem controlado o cristianismo e a Igreja Romana certamente têm, porque eles estão na corrente de conhecimento que tem sido suprimido para a população geral. Cada geração é condicionada a pensar do jeito cristão a respeito do sexo, seja conscientemente ou subconscientemente, e estes, por seu turno, ajudam a condicionar a próxima geração a pensar o mesmo. Mas sexo é maravilhoso. É para ser desfrutado. A habilidade para expressar seu amor fisicamente por um outro ser humano é uma dádiva. Eu não me importo qual seja sua sexualidade. Amor é amor é amor. Vamos expressá-lo. Se Augustine ou o Papa querem atar um nó nos deles, bom pra eles, cada um na sua, desde que eles não me digam como viver minha vida.
No Oriente, Ásia e China, retiveram o entendimento da energia sexual por milhares de anos e este conhecimento é praticado no Ocidente, nas sociedades secretas e rituais Satânicos. Mais uma vez, de novo a energia sexual, é só isto, energia, e pode ser usada para criar ou destruir. Nas religiões orientais, a criação consciente e a estimulação da energia sexual é conhecida como Tantra. Sexo é visto, bem corretamente, como a união e equilíbrio do masculino e feminino, o yang (masculino) e yin (feminino). A idéia de sexo tântrico é estimular a energia sexual contida na base da espinha, a energia Kundalini como ela tornou-se conhecida. Isto
era simbolizado como serpentes desenroladas, no Tantra os participantes controlam e atrasam o orgasmo para transformar a kundalini de seu estado original (ching) para a energia superior (ch‘i) e, finalmente, sua mais alta expressão (shen). Isto é feito erguendo a energia na espinha e fazendo-a descer novamente até que ela atinja um estado vibratório que possa reconectar a pessoa com o cosmos. No final deste livro você verá a importância disto e sua base científica. Quando a kundalini explode no seu campo de energia como aconteceu comigo em 1990-91, ela pode golpear você mentalmente, emocionalmente e espiritualmente, algumas vezes fisicamente também, até você ter dominado seu poder. Estimular a kundalini é descrito como „acender o fogo interior‟. O meu não foi um fogo, foi uma pancada nuclear! Tantra é projetado para completar este processo de um modo mais controlado, mas algumas vezes o modo incontrolado oferece uma experiência mais extrema e esclarecedora. Uma vez que a Kundalini é despertada, você tem um suprimento constante de energia imensamente poderosa para com isso criar tudo o que você escolher. Os Satanistas usam sexo como uma parte fundamental de seus rituais, assim eles podem drenar esta energia sexual, força kundalini, para seus propósitos horrendos. Mas ele pode ser igualmente usado para nos libertar e daí a obsessão cristã em transformar o sexo em uma experiência suja, imoral, cheia de culpa que suprime e desequilibra a energia kundalini e desliga a pessoa de seus níveis cósmicos do self (eu superior).
A compilação da Bíblia era também uma outra farsa. Se você pergunta a maior parte das pessoas sobre os escritores dos Evangelhos, normalmente, dirão a você que Mateus, Marcos, Lucas e João eram os discípulos de Jesus. Esta é a impressão que as pessoas têm e são encorajadas a ter, mas não é verdadeira e nem também a Igreja alega isto oficialmente. Os Evangelhos e outros livros da Bíblia são somente aqueles escolhidos pela hierarquia da Igreja Cristã, daqueles escritos pelos Pisos e Plínio e as muitas cópias e ramificações que se seguiram. Muitos outros textos estavam disponíveis que eram tão válidos, frequentemente muito mais, do que aqueles que se converteram no „Livro Sagrado‟. Textos foram rejeitados , destruídos ou reescritos para se encaixar com a linha oficial e o filósofo, Celsus, escreveu dos líderes da igreja no terceiro século:
“Vocês puseram em circulação fábulas, e vocês nem possuem a arte de fazê-las parecerem prováveis... Vocês alteraram três, quatro vezes e muito mais vezes, os textos de seus próprios Evangelhos para negar objeções suas.” (25)
Em 1958, um manuscrito foi descoberto em um monastério em Mar Saba, leste de Jerusalém, que mostra como a estória de Jesus foi reescrita pela Igreja sempre que convinha a eles na época. Foi descoberto por um americano, Morton Smith, (26) Professor de História Antiga na Colúmbia University (Universidade de Colúmbia), e incluía o conteúdo de uma carta do Bispo Clemente de Alexandria, Egito, um primitivo pai da Igreja, para um colega chamado Theodore. Ele também revelava um desconhecido segmento do Evangelho de Marcos que tinha sido suprimido. Ele incluía na estória de „Jesus‟ alguns detalhes das iniciações das escolas de mistério e um registro da ressurreição de Lazaro por Jesus, a famosa ressurreição dos mortos. Neste testo suprimido Lazaro chamou a Jesus antes de qualquer
„ressurreição‟ tomasse lugar, assim provando que ele não estava supostamente morto fisicamente. Havia também uma outra devastadora revelação para o Cristianismo. O manuscrito faz referências ao efeito que Jesus estava conhecendo, ao ter se implicado, em possíveis práticas homossexuais, envolvendo o „jovem homem rico‟ mencionado no Evangelho de Marcos. (27) Deixe-me acentuar que eu não estou condenando a homossexualidade aqui. Boa sorte para aqueles que desejam viver sua vidas desta maneira, desde que seja a escolha de todos os envolvidos. Eu estou querendo dizer que a hierarquia Cristã tem enganado e mentido para seus seguidores desde o início. A carta do Bispo Clemente respondia a um cristão que estava muito perturbado por terem contado a estória acima de „Jesus‟ pelo grupo gnóstico chamado Carpocrates. Aparentemente, isso foi vazado para eles por um funcionário em Alexandria. O conselho de Clemente, depois de confirmar a estória, foi que qualquer coisa que contradiga a opinião de igreja oficial deve ser negado, mesmo se é verdadeiro. A carta diz daqueles que questionam a ortodoxia oficial:
“Mesmo se eles dissessem algo verdadeiro, alguém que ama a verdade não deveria, mesmo assim, concordar com eles... Com eles este alguém nunca deve ceder; nem, quando eles apresentarem suas falsificações, esse alguém deveria admitir que o Evangelho secreto é de Marcos – mas deveria negá-lo em juramento. Porque nem todas as coisas verdadeiras são para ser contadas a todos os homens.” (28)
Clemente estava resumindo a atitude da Fraternidade e sua frente religiosa por toda a história. A maioria dos membros da Igreja segue a linha do partido (da igreja), porque isto é o que eles são condicionados a acreditar, mas dentro destas „religiões‟ estão as seitas secretas que sabem a verdade. Elas são organizações dentro de organizações, ou uma organização (a Fraternidade reptiliana) dentro de organizações. Foram tais pessoas que criaram a religião em primeiro lugar, compilaram e traduziram a Bíblia, o livro que era para controlar mentalmente o mundo por séculos e, em enorme extensão, ainda controla. Jerônimo tornou-se secretário do Papa Damasus por volta de 382 e ele foi encarregado de reunir vários textos para produzir a Bíblia em latim, a língua oficial de Roma. Agora nós tivemos uma outra tradução, a hebraica e grega para o latim, mais os preconceitos do próprio Jerônimo. Sua versão é conhecida como Vulgata, do latim, quer dizer uso geral. O derivado inglês, vulgar, quer dizer „de mau gosto‟, seria uma descrição melhor. Jerônimo editou os textos quando ele via se encaixarem e rejeitava aqueles que não apoiavam o credo de Nicéia. Ele trabalhou com um outro „pai‟ da igreja, a bomba sexual, Augustine. Jerônimo e Augustine ambos concordavam que as mulheres eram moralmente e espiritualmente inferiores, que sexo e prazeres mundanos eram uma fonte do mal, que mantinha os homens afastados de seu caminho espiritual. Pobres malditos. Eles examinaram 13 evangelhos, nove atos e ensinamentos dos Apóstolos, mais 31 cartas e outros escritos. Eles decidiram o que era „ortodoxo‟ e o que era para ser rejeitado. Suas escolhas foram apoiadas pelo Concílio de Cartago em 397 e confirmadas novamente pelo Papa Inocente I cem anos depois. A Bíblia Vulgata de Jerônimo tornou-se amplamente aceita como a
versão. O Concílio de Trento em 1545 decretou que era a único aceitável para os Católicos Romanos.
A maioria dos cristãos não poderia compreender o que estava escrito, porque eles não liam latim, mas eles podiam confiar nos sacerdotes para contar para eles o que estava escrito que eles deveriam fazer. Pessoas eram condenadas e mortas pelo crime de traduzir a Bíblia para o inglês porque fazer isso permitia que milhões de fato lessem os textos que os sacerdotes estavam usando para os controlar e aterrorizar. Em 553 d.C., a crença na reencarnação foi declarada ilegal no Segundo Sínodo (concílio) de Constantinopla, sob a influência do Imperador Justiniano. O concílio decidiu, sem a presença do Papa, que: “Se alguém declarar a fabulosa preexistência das almas e submeter-se à doutrina monstruosa que acompanha isso, deixe-o ser... excomungado”. A „monstruosa doutrina‟ era que nós vivemos para sempre em uma viagem eterna de evolução através da experiência e nós somos todos responsáveis por nossas ações nesta vida física, ou em uma futura. Uma aceitação da reencarnação retiraria o poder do céu, ou inferno imposto para amedrontar as pessoas a agirem como eles, desculpe, „Deus‟, disseram. O conhecimento continuou a ser sugado do domínio público. Depois de Constantino, o Grande, vieram outros imperadores que influenciaram o curso do rápido surgimento do credo cristão. Entre eles estava Teodósio que fez o cristianismo a religião oficial do império em 380. O poder dos homens de batina cresceu enormemente quando o sacerdócio babilônico ancorou em Roma. Qualquer um que se desgarrava, mesmo que marginalmente das crenças oficiais, era brutalmente executado e seus documentos destruídos – exatamente o princípio de Nimrod da Babilônia. Isto não é um bando de psicopatas enlouquecidos por poder, entregando-se a seus hábitos através desta carnificina grotesca, isto foi um plano friamente calculado para governar pelo terror e fazendo assim, tirar de circulação pública qualquer outro conhecimento, ou versões da vida. Como reptilianos e marionetes de reptilianos, eles queriam criar uma cela de prisão mental e emocional, onde seria fatal trilhar do lado de fora.
Os saqueadores visigodos, um povo germânico (ariano) que ocupava o sul da França, eventualmente saqueou Roma em 410, mas a esta altura a Igreja Romana tinha tal controle nas mentes de tantos no ex-Império Romano, que onde os imperadores romanos cediam, os Papas tomavam o poder. A ditadura romana tornou-se a ditadura papal e nos séculos que se seguiram, a Europa tornou-se uma paisagem de carnificina inenarrável. O Papa governava e quem governava o Papa? A Fraternidade Babilônica, exatamente como eles fazem hoje. As religiões hebraica e cristã são invenções daqueles que controlavam a corrente subterrânea do conhecimento secreto. Até as vestimentas roupas rituais são as mesmas em muitas maneiras. O que o povo judaico usa? Barretes. O que o Papa usa? Um barrete. Isto é simbólico da maneira que os sacerdotes nas escolas de mistério costumavam raspar a parte de trás de suas cabeças. O mais formal ornamento de cabeça e ritual do Judaísmo e do Cristianismo é também muito similar, porque eles se originam da mesma fonte e a mitra do Papa é o símbolo da cabeça de peixe de Nimrod.
Para completar o trio, juntos vinham os muçulmanos com seus barretes e o
credo do islamismo, inspirado pelo „Profeta‟ Mahomet (Mohammed-Maomé) quando ele teve uma „visão‟ no ano 612. Mais uma vez nós descobrimos que as raízes do islamismo estão no cristianismo e judaísmo e, portanto, Babilônia. Muçulmanos vêem o islamismo como uma continuação atualizada da corrente judaica-cristã e eles, também, remontam a origem de sua genealogia até nosso velho companheiro, Abraão, do qual se diz ter surgido na sumeriana cidade de Ur e ter ido em direção ao Egito. Eles acreditam que Abraão construiu a Caaba, o sagrado santuário em Meca, e o foco da peregrinação para os muçulmanos de todas as partes do mundo. Mas ela era de fato originalmente um templo pagão culto a deusa (Semiramis) apresentando como atração principal a famosa Pedra Negra. W. Wynn Westcott, fundador da Hermetic Order of the Golden Dawn (Ordem Hermética do Aurora Dourada) escreveu em seu trabalho, The Magical Mason (O Mágico Maçon-Pedreiro), que a Pedra Negra supostamente carregada para Meca por Abraão, foi usada originalmente para antigo ritual pagão. (29) De novo você observa o simbolismo da Fraternidade nesta „nova‟ religião. Os símbolos do crescente e a espada curva, a cimitarra, são identificados com a Lua e Vênus, a Estrela da Manhã, o termo usado para Lúcifer. Vênus era também um título para Rainha Semiramis. Muçulmanos compraram a idéia que Moisés, Rei David e Jesus eram profetas divinos enviados pelo único Todo Poderoso Deus, quando de fato todos os três são invenções da Fraternidade. O livro sagrado deles, o alcorão, que supostamente foi inspirado por Deus, menciona Jesus em 93 versículos e trata-o com uma pessoa viva. O islamismo foi criado pelas mesmas redes da Fraternidade como as religiões cristãs, para mais aprisionar, dividir e governar. Maomé foi o último profeta e, portanto, os muçulmanos consideram, o mais válido. Como tal, todos os cristãos e judeus deveriam se converter ao islamismo, os muçulmanos ortodoxos exigem. O termo, Jihad, é a „Guerra Santa‟ que os muçulmanos são incitados a combater contra todos que não aceitam o credo de Maomé. Quão apropriado que o islamismo signifique „submeter-se ou render-se‟ e muçulmanos signifique „o que (se) submete‟. Alguns dos mais sangrentos conflitos na história resultaram do desejo do islamismo, cristianismo e judaísmo impor seus credos um ao outro e a mesma manipulação! Desculpe-me, peguei o bonde andando e perdi algo? Mande-me uma luz Scotty, me tire daqui...
O deus islâmico Alá é o mesmo „deus‟, os muçulmanos dizem, que o Judaico-Cristão, Jeová. O alcorão é o livro sagrado islâmico, mas os muçulmanos também dão crédito ao Pentateuco, os primeiros cinco livros do Velho Testamento atribuídos a Moisés. Na verdade eles foram escritos pelos levitas subseqüente a Babilônia e não por „Moisés‟, que era um título nas escolas de mistério egípcias. É realmente uma coincidência que estas três grandes prisões da mente, supressoras do feminino, e criadoras de conflitos sangrentos, venham todas da mesma parte do mundo? Ou que pessoas tendo visões e visitas joguem um papel tão crucial na formação e lenda que criaram estes monstros? Maomé disse que ele teve sua visão perto da caverna onde ele costumava ir. Cavernas e lugares escuros são recorrentes nas estórias de superstars religiosos e deuses Sol como Mitra e Jesus. Maomé disse que seu visitante alegava ser o Anjo Gabriel de fama bíblica e durante o encontro
Maomé disse que ele perdeu a consciência e entrou em estado de transe. Enquanto Maomé estava em seu transe, ou estado hipnótico, „Gabriel‟ deu a ele uma mensagem para lembrar e recitar. Maomé disse, que quando ele despertou, a mensagem estava inscrita no seu coração. O que se seguiu ao encontro com „Gabriel‟ foi um banho de sangue transpondo os séculos até o dia de hoje, enquanto Maomé e seus sucessores procuravam impor seus credos para o mundo. O islamismo não é o oposto do cristianismo e do judaísmo, eles são todos ‗oppo-sames‘ (opo-mesmos): o mesmo estado da mente com um nome diferente, essencialmente controlados pelas mesmas pessoas, os reptilianos. O islamismo é uma outra religião de escola de mistério, seus textos escritos em código esotérico para as massas tomarem-no literalmente. Houve tempos, em séculos posteriores, quando alguns destes conhecimentos secretos foram concedidos ao domínio público por líderes muçulmanos mais esclarecidos e isto foi a inspiração para as sociedades e ciências avançadas que provieram da Espanha muçulmana e Bagdá. Hoje, parte da Agenda da Fraternidade é estimular conflitos com as nações islâmicas causando divisões entre os mundos muçulmano e o judaico-cristão. A Igreja Mórmon é uma outra religião de „visão‟ que muito poderosamente se entrelaça com a rede da Fraternidade, como todas as religiões.
A Igreja Mórmon, ou mais formalmente, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, foi fundada por Joseph Smith depois dele alegar que um „anjo‟ chamado Moroni apareceu para ele em 1823. Moroni, ele disse, falou para ele da existência de um livro de placas de ouro contendo: “a plenitude do eterno evangelho” e “um registro dos antigos habitantes deste continente e as fontes da qual eles jorraram”. A localização foi revelada para ele, e em 1827 com a ajuda de duas „pedras mágicas‟ chamadas Urim e Thummim, ele traduziu as placas para o inglês. Urim e Thummim eram, de fato, os nomes dos ossinhos de carneiros dados, ou usados pelos sacerdotes levitas e os Reis de Israel eram instruídos a seguir suas profecias. Eles eram usados no lugar sagrado das escolas de mistério conhecido como o Tabernáculo. Aqui nós também temos uma outra religião se originando da mesma fonte e uma outra perpetuação do mito de Jesus. As placas de ouro, Smith disse, estavam escritas em „egípcio reformado‟. Disto proveio o Livro dos Mórmons dois anos mais tarde e seus seguidores tornaram-se a Igreja Mórmon em 1830. Os pilares da igreja primitiva foram Smith e um outro cara chamado Brigham Young. Eles eram ambos maçons de alto grau da fundamental Loja de Nova Iorque e a expansão da igreja foi financiada por Kuhn, Loeb & Company, o Banco Rothschild nos Estados Unidos da América (30), que também ajudaram a financiar a Revolução Russa e ambos os lados na Primeira Guerra Mundial. Os Mórmons foram uma criação da Fraternidade. Mórmons reconhecem a Bíblia, mas alegam que os escritos de Smith são igualmente divinos. Eles organizaram comunidades chamadas Estacas de Zion (Sion, o Sol) e eventualmente assentaram-se em Salt Lake City, Utah, a cidade Mórmon de onde seus programas de controle da mente são orquestrados, como eu documentarei em um capítulo posterior. Engraçado como todas estas religiões são justificadas por uma visão ou visita, seguidas por uma religião radical, dogmática e autocrática que governa pelo medo, doutrinação e manipulação da
mente.
Uma outra seita de controle da mente que surgiu do Cristianismo/judaísmo são as Testemunhas de Jeová, o culto do deus raivoso hebraico, Jeová; um de seus fundadores principais foi o pedófilo Charles Taze Russell, um maçon de alto grau. Estas religiões foram montadas para controlar, criar conflito entre pessoas, e dividir e governar as massas. Visões de personagens bíblicos como a Virgem Maria, que tem acentuado correntes prevalecentes das crenças cristãs através dos séculos, seguiram um padrão similar. Nós não temos idéia com o que o „time‟ de Jesus se parecia, mas as pessoas sempre os vêem como suas clássicas representações artísticas. Aqueles que tiveram visões, que se relacionavam com as estórias da Bíblia tiveram santuários construídos para eles, mas aqueles que têm visões que não são bíblicas, são condenados como se trabalhassem com o Diabo.
William Cooper, um ex-agente secreto da Inteligencia Naval dos Estados Unidos da América, disse que ele viu documentos secretos, que alegam que extraterrestres, contaram às autoridades norte americanas, que eles tinham manipulado a raça humana via religião, satanismo, bruxaria, magia e o oculto. Certamente, a raça humana é manipulada e controlada através da religião e do satanismo. A única questão é, estão os extraterrestres (ou intra-terrestres) por trás disso? Como Cooper pergunta: “...eram eles de fato a fonte de nossas religiões com a qual eles estão nos manipulando todo este tempo?” (31) A resposta, eu sugeriria, é um bem alto: “Sim”.

5 comentários:

  1. Sei que esta mensagem esta um pouco fora de contexto, mas 
    gostaria de compartilhar um importante assunto.
    Existe um livro, o qual explica a mecanica quantica.
    Esse livro chama-se "O UNIVERSO AUTOCONSCIENTE" de AMIT GOSWAMI, Editora ALEPH, o qual pode ser encontrado nas principais livrarias - www.estantevirtual.com.br.
    Tb existe um filme muito bom, o qual trata do assunto (Quem somos nós).

    http://www.youtube.com/watch?v=WDXFRvbe2VY

    Há tb um site ótimo, o qual fala sobre o assunto de forma prática. Trata da ressoanancia harmonica. Vale a pena consultar e tirar as devidas conclusoes.

    http://www.profheliocouto.com.br/
    Ats.
    Kodai Susssumu

    ResponderExcluir
  2. Vc perde autoridade e conteúdo quando baixa o nível, para o baixo calão, p ex: 'santa merda'. Também do 'Oriente' vem o anticristo, mas eu duvido que um pagão romano diria: "Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará" Além disso há o Oculto Sagrado e creia que "Cristus filli Dei Dominus vitae" é uma 'pessoa' um ser espiritual. Quanto a Jesus ou Yeshua, não vou julgar.

    ResponderExcluir
  3. Ninguém pode te dizer quem é você ,se você mesmo não sabe quem é.Somos restos de estrelas e aprendizes da vida,pois até hoje não aprendemos a viver diante de tantas matanças descontroladas pelo que não é seu, mas sim do próprio mundo.Bita

    ResponderExcluir
  4. Resto de estrela , como pode então termos conciencia, somos sim aprendizes onde estamos vivenciando uma prova de fogo onde temos que sair deste transe de manipulação e encherga as verdades pata sair deste plano denso orgânica e carbono, existe seres mais evoluido nos auxiliando sem interferir no nosso crescimento evolutivo ou espiritual .

    ResponderExcluir
  5. Que mudar o mundo mude a si mesmo atitudes pensamentos e feitos tudo e vibração ondas magnéticas vibre amor paz liberdade alegria. Você estará fazendo sua parte neste processo evolutivo

    ResponderExcluir